A ausência do líder e seus efeitos
 
Às vezes, impedimentos eventuais determinam que o líder se mantenha afastado da equipe, por certo lapso de tempo, o que pode durar horas, dias ou semanas; sendo que esses momentos significam verdadeiros testes de liderança. Quando isso acontece em sua organização, as pessoas continuam trabalhando normalmente, ou desorientadas se dispersam e perdem o rumo que estavam seguindo?

O dito popular afirma: “A onça saiu o mato é nosso.”.

Organizações de sucesso, de modo geral, têm em seus quadros funcionais, pessoas comprometidas com o que fazem, e isso é excelente. O que muita gente não sabe é que as pesquisas apontam, para uma triste realidade: aproximadamente oitenta por cento das pessoas que pertencem ao mercado de trabalho, não são comprometidas. Pior que isso, quase vinte por cento, formam o bloco dos chamados desengajados, os quais, ainda por cima disseminam ondas de pessimismo, por onde passam ou se encontram.

Outro dado importante e que precisa ser levado em conta: mais de oitenta por cento das pessoas que solicitam demissão de suas atividades, revelam terem tido problema de relações humanas, com seus superiores hierárquicos.

Quando a liderança é alvejada, conseqüências surgem de imediato.

Colonizadores da América do Norte exterminaram manadas inteiras de búfalos, porque entenderam a formação de liderança desses animais. Geralmente, o mais forte e bravo assume a posição de líder, sendo que os demais, sem resistência alguma, o seguem até as últimas conseqüências. Quando esse líder repentinamente é abatido pelos caçadores, toda manada se dispersa e sem saber o que fazer, vira presa fácil de quem a perseguir. O mundo corporativo está cheio de líderes que conseguiram altas posições, por serem semelhantes a um búfalo no exercício de suas atividades. Seus liderados não conseguem enxergar e compreender a visão do empreendimento em que estão inseridos. São obrigados a seguirem seu líder, para onde ele ir, sem questionamentos e sugestões sobre o traçado do caminho. Esses líderes, normalmente não sabem o que é tirar férias e ficam pouco tempo com suas famílias, tudo sob a alegação de que vivem muito ocupados. Olhando por outro ângulo, geralmente não treinam outras pessoas ao exercício da liderança, não promovem a capacitação e escondem o conhecimento que possuem a sete chaves.



DICAS IMPORTANTES À LIDERANÇA

  • Os paradigmas mudaram. A história da vida em sociedade mudou. Os espaços para líderes-búfalo, devagar estão sendo banidos.


  • As instituições, de modo geral, estão a caça de líderes que queiram se dedicar ao sucesso de toda a equipe, colocando-a como premissa maior, compartilhando: missão, visão, política e valores que fundamentam a finalidade e o objeto do empreendimento.


  • Líder que atinge a plenitude de seu comando, pode se ausentar de sua equipe, para viajar a serviço ou tirar férias, que seus liderados se revezam na execução das tarefas sem perder o rumo e a direção que se deseja alcançar.
DR. ROMEU JOSÉ DE ASSIS é Advogado, Escritor e Diretor do Grupo LaboRHumano.
 
A ausência do líder e seus efeitos
Algumas dicas de entrevista de seleção que podem ajudar você a conquistar uma vaga desejada